Motovelocidade – ICGP: brasileiro Bob Keller corre em Imatra, o mitológico circuito finlandês

Motovelocidade – ICGP: brasileiro Bob Keller corre em Imatra, o mitológico circuito finlandês

A terceira etapa da temporada 2019 do ICGP (International Classic Grand Prix, campeonato mundial para motos de GP clássicas) acontecerá em uma das pistas mais desafiadoras da história do motociclismo mundial: o circuito de estrada de Imatra, sede do GP da Finlândia (válido pelo Campeonato Mundial de Motovelocidade) entre 1964 e 1982. A etapa do ICGP acontecerá entre os dias 14 e 16 de junho.

(assista o video abaixo)

“É a primeira prova do ICGP em Imatra. Minha expectativa é muito grande, porque sempre ouvi falar dessa pista e nunca imaginei que teria a chance de correr nela com uma moto igual às usadas no Campeonato Mundial naquela época”, afirma o brasileiro Bob Keller, que participa do ICGP com uma Yamaha TZ 250 e espera apagar da memória os vários problemas mecânicos enfrentados na etapa de Paul Ricard  em que conseguiu em que conseguiu apenas um quarto lugar na segunda prova, ainda assim por conta do alto número de abandonos. Em Imatra, o ICGP integra a programação da etapa do IRRC, Campeonato Internacional de Corridas de Estrada, e terá participação de pilotos que disputam o célebre Tourist Trophy da Ilha de Man.(assista o video abaixo)

Um dos trechos mais icônicos de Imatra é o cruzamento com uma linha de trem. Presente na época do Mundial, esse trecho permanece no traçado que será usado pelo ICGP. O circuito recebeu o Campeonato Mundial de Motovelocidade pela última vez em 1982. Naquele ano, o acidente fatal do escocês Jock Taylor, ex-campeão mundial de Side Car (1980), representou o argumento final para tirar Imatra do Mundial, depois de muitas reclamações quanto à segurança. A pista continuou sendo utilizada em eventos históricos e passou a receber as provas do IRRC há alguns anos. Dois vídeos mostram bem o tamanho do desafio que os pilotos do ICGP terão em Imatra: um da etapa do IRRC

A prova do ICGP em Imatra terá a presença do finlandês Teuvo “Tepi” Lansivuori, vencedor de oito GPs do Mundial na década de 1970, com uma Yamaha TZ 250. Lansivuori correu na mesma época de Jarno Saarinen, morto em 1973 no GP da Itália, em Monza, em um acidente coletivo que também custou a vida do italiano Renzo Pasolini. Saarinen é até hoje o único finlandês a conquistar um título no Mundial de Motovelocidade (categoria 250, em 1972).

Fonte: LetraNova Comunicação